Domício Brasiliense
 
 

Artigos

 

O Nosso Problema é a Falta de Tempo?

22/05/2014

Com relativa frequência, ouvimos frases como: “O mundo está acelerado”, “O tempo está mais curto”, “Parece que o Natal foi ontem”, “Não tenho tempo para fazer quase nada.”

O que ouvimos, realmente, quando estas afirmações chegam até nós? Num primeiro momento, nos sentimos cúmplices, navegando no mesmo barco acelerado do dia a dia contra o tempo, pois sabemos o que é não ter tempo para fazer tudo o que gostaríamos. Desta forma, nenhum de nós precisa se culpar tanto, pois não estamos fazendo nada de errado, apenas o mundo é que está rápido demais. Então, através dessa identificação, ficamos livres de culpas que, provavelmente, nos entristeceriam e poderiam nos conduzir para um processo de angústia. Consolados pela falta de tempo ser um problema global, levamos a nossa vida sem pensar no que essa aceleração tem feito com o nosso estado psicológico e emocional.

A angústia pode caracterizar-se por relativa inconstância de humor, certo saudosismo, amor por aquilo que já foi abandonado, suspiros e bocejos, falta de sono ou sono inquieto. Também se pronuncia através da sensação de aperto no peito, às vezes parecendo que vai se abrir, dor de cabeça, tonturas, etc. Por incrível que pareça, esses sintomas surgem de repente, sem nenhuma relação com algum evento atual nas nossas vidas, o que faz com que não entendamos o porquê desse estado.  O que temos de concreto é o corpo que grita, denunciando que algo não está bem. Contudo, todas essas variedades de sensações conduzem ao mesmo resultado: o descontentamento consigo mesmo.

A experiência da angústia é algo comum a todos, num ou noutro momento, mas que precisa nos conduzir a possíveis escolhas que nos ajudem a elaborar essa falta de paz interior. Pensarmos em possibilidades é dar um salto da angústia em direção ao nosso verdadeiro Eu, criando uma sintonia harmonizadora em relação aos nossos anseios e desejos. O tempo, com a rapidez tecnológica, pode parecer andar de forma acelerada, mas precisamos saber a nossa velocidade de sentir, experienciar e elaborar as coisas à nossa volta. Superar a angústia é decidir ter tempo para cuidarmos de nós mesmos e daquelas coisas que realmente possuem significado e valor para o nosso Eu Interior.

A vida pode ter muitas configurações de felicidade e as formas para alcançá-la, mas cada um de nós precisa descobrir a sua própria configuração, dedicando um tempo de qualidade para entender o que é necessidade, anseio e satisfação, individualmente. Assim, conhecendo a nós mesmos, talvez o tempo não se torne tão avassalador e, quem sabe, também não teremos mais condições de viver de forma mais fraterna.

Todos os Artigos
 


Indique este Artigo para seus amigos!

Seu Nome:


Nome do Amigo:


Email do Amigo

< Voltar